LEMBRETE!

Palavras, silêncio... Tudo fere se estamos ressentidos.
Gi Barbosa

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Perdoar antes de Morrer História Real

Essa é uma história real ... Estive lá e transcrevi conforme minha memória ia ajudando ...
Eu chorei quando ouvi, chorei quando escrevi e chorei quando li...
Perdoar antes de Morrer História Real

Na escola Bíblica Dominical a professora de EBD contava com voz embargada a história de sua mãe, falecida recentemente ...
Todas olhávamos pra ela com aquele ar de quem espera o desfecho da história que já sabemos o final e ela relata.
Há poucos dias  fomos dar um banho em minha mãe (ela já muito fraquinha)... Não conseguíamos entender como ela ainda estava viva... Já não falava, não andava , mal se mexia.
Tiramos sua roupa sua aliança e a banhamos com cuidado eu e minhas irmãs.
A trocamos e colocamos de volta na cama ...
De repente ela se agitou e permaneceu agitada durante muito tempo...
Como não falava ficamos apreensivas com aquela inquietação e perguntávamos:
- Mãe a senhora está sentindo alguma coisa, mãe?
Temíamos uma nova crise e a fatalidade...
Ela agitava-se mais apontava para o local do banho e se contorcia . Lágrimas corriam de seus olhos... A essa altura estávamos desesperadas, correndo contra o tempo para levá-la ao hospital, mas ela dizia com a cabeça que não sentia nada e apontava para o local do banho..
Até que com muito custo conseguimos ligar os fatos e constatamos que não tínhamos colocado a aliança de volta no dedo dela.
Pegamos a aliança e quando a colocamos ela se aquietou...
Meu pai, vendo a agitação veio até a cama e conversou com ela, entendeu o gesto, lhe pediu perdão por todas as vezes que a tinha maltratado, que não tinha sido um bom esposo e tantas outras feridas que os mais de 40 anos de casamento foram abrindo e a falta do pedido de perdão foi deixando aberta
Ela acenou com a cabeça que sim, sorriu, tirou a aliança do dedo com muito custo , colocou no dedo dele e morreu.
A essa altura todas chorávamos na EBD...A professora não conseguia se conter, tirou o lenço do bolso, sentou e chorou copiosamente, eu que a substituiria na sequência esperei alguns instantes, mas também não conseguia me conter e deixei que ela tentasse prosseguir. E ela prosseguiu...
Minha mãe precisava perdoar a meu pai antes de morrer, ela sofreu tanto até ele pedir perdão, mas ela não morreu antes que pudesse perdoá-lo e partir feliz.
Foi uma aula especial, não me sai da memória essa história real, que ouvi dessa filha que usava algo tão doloroso como a morte da mãe para nos ensinar o valor do perdão.
Ela precisava perdoar o marido antes de morrer e resistiu até o momento final para com os olhos e um gesto de cabeça perdoar-lhe e e morrer.

Gi Barbosa Carvalho

0 comentários:

Postar um comentário